Organizando de dentro pra fora

Organizadora profissional, a nova-iorquina Julie Morgenstern ganha a vida encontrando soluções para as casas das outras pessoas e para empresas alheias. Além de livros com dicas para qualquer tipo de bagunça, ela tem até uma linha de bolsas, pastas e agendas que promete dar fim ao mais caótico reduto feminino. E como este é um assunto que sempre interessa, porque sempre tmeos horrores de coisas para guardar, acho que vale a pena prestar atenção no que a moça diz.


Uma das dicas da expert é: mantenha tudo limpo! Desde o armário (ou caixa) de remédios até tabelas de afazeres, são boas indicações de como solucionar problemas de forma prática e eficiente. Tudo que pessoas que guardam milhões de coisas, como toda crafter que se preze, mais necessitam na hora de dar uma geral no craft room.

Para saber mais:
Organizing from the inside out – o livro
Organizing from the inside out for teens
– Site de Julie Morgenstern

Bolsas Caprichos da Lulu

As bolsas Caprichos da Lulu são exatamente o que o nome diz: um capricho só. Repletas de detalhes, são criações exclusivas da brasiliense Luzia Aragão, que adora trabalhar com fitas para os enfeites das bags Mimos que produz.


Além das bolsas, Luzia confecciona porta-cartões, porta-moedas, porta-óculos, nécessaires… As peças, feitas em tricoline, algodão e brim, são enfeitadas com flores em tecido e feltro, bonequinhas, fitas sianinha e outras coisinhas fofas. Todos esses “acessórios” são presos com alfinetes, para seja possível variar e lavar os produtos, sem riscos. Luzia Aragão aceita encomendas e envia para todo o Brasil. Os preços das bolsas variam de R$50,00 a R$90,00, dependendo do modelo e do tamanho.

Para ver mais:
– Flickr Caprichos da Lulu


Site brasileiro para compra e venda de manualidades

O colar da foto, feito por Pano a Mano, que confecciona bijuterias artesanais em tecido, eu encontrei por acaso hoje, enquanto dava uma olhada no site Elo7 – dedicado à venda de produtos handmade. Gostei da qualidade do trabalho – os colares dessa marca são todos lindos – e da praticidade do site. Eu nunca usei os serviços, nem para comprar e nem para vender, então não posso dar um veredicto sobre o assunto, mas acho que vale a pena pesquisar, principalmente para quem vende!


O site http://www.elo7.com.br é mais uma opção para quem faz manualidades no Brasil. Ele é parecido com o http://www.etsy.com. Você expõe lá seus produtos, com preço, características, prazo de entrega e descrição do produto. O site ainda não tem uma quantidade absurda de coisas para vender, então está na melhor hora para iniciar as vendas, já que a concorrência não está muito acirrada – várias das categorias ainda não têm nenhum produto disponível para venda.

Para saber mais:
– O colar da foto
– A página Pano a Mano no Flickr
– O site Elo7

Hello Kitty Online

O site Hello Kitty Online da Sanrio é muito fofo – até para mim, que não sou nenhuma fã da gatinha. Na verdade, eu até gosto, mas acho que a coitada já foi tão exposta, usada e maltrada pelo mundo afora, que já cansei. (Isso sem falar daquelas deformadas que a gente vê por aí, a torto e a direito).


Bom, mas o site é lindinho! A seção Meet the Characters é um arraso, com todos os fofos juntos, na mesma cena. E eles estão lançando um RPG on-line – em inglês, massively multiplayer online role-playing game (MMORPG). Para quem gosta de jogar na web e da HK, é uma pedida!!! Também tem screenshots do jogo para download (as imagens que ilustram este post são alguns deles), para quem quiser uma palhinha.

Mesmo quem não joga RPG e não está disposto a começar, vale a visita no site, para ver as fofurices!

Hello Kitty Online

E o selo virou figurinha…

Hoje, quando fui postar nos Correios uma troquinha, vi a gaveta do atendente cheia de selos da costureira. É claro que não resisti! Cada selo deste tipo custa apenas R$0,05 e é um dos adesivos mais legais que crafters podem ter. Eu comprei logo uma cartela inteira, com 30 unidades, que é para poder colar por aí.


Minha primeira escolha – e a mais óbvia de todas – foi a caixa de costura, que no meu caso é uma nécessaire de metal adaptada. Grudei o selo no espelho que tem por dentro e adorei, claro!

O selo não é novidade, eu sei, até porque ele já foi lançado há uns 3 anos. O que nunca tinha me passado pela cabeça era comprar para usar como figurinha, sem a função “oficial” de garantir o envio da correspondência.

Tem outras profissões, como manicure, carpinteiro… – todos desenhados pelo artista plástico Hector Consani. Também tem um selo comemorativo, com umas rosas, que custa cerca de R$7,00. Mas o mais fofo de todos, com certeza, é o da costureira. Eu já estou colando os meus por aqui!

Para saber mais:
– Site dos Correios – filatelia

Conheçam George, the sock monkey

Ele é tão fofo, tão fotogênico e tão querido que vocês precisam conhecer meu mais novo amigo: George, the sock monkey. Minha diversão foi tanta quando comecei a fazer meu primeiro boneco feito com meias que acabei esquecendo completamente de fotografar o passa-a-passo – mas prometo que vou fazer outros e aí fotografo tudinho!


Como primogênito, George era uma simples experiência que acabou dando super certo. Usei um par de meias velhas do meu marido (que acabou até gostando da brincadeira), mais uma meia dúzia de elementos e tchrannn: George surgiu!

A idéia de fazer um sock monkey eu já tinha faz tempo, mas sempre deixava para depois. Até que na sexta-feira passada eu ganhei o livro “Sock and Glove” e me apaixonei! O livro já virou um dos meus favoritos (e olha que não é fácil competir na minha lista de top ten). Agora que já estou um pouco menos empolgada com ele, prometo que vou fazer outros bonecos e postar os tutoriais aqui. Por enquanto, se deliciem com o livro, que é o máximo!!!

– O livro: Sock and Glove – Creating charming softy frinds from cast-off socks and gloves

Interview: Lu Gastal – Artesanato do Campo

Lu Gastal dispensa apresentações! Suas frutas e verduras de tecido, seu sorriso iluminado e uma profusão de cores fazem do Flickr da moça um dos mais visitados entre as crafters do Brasil e do mundo. Em 2008, Lu deu uma abrasileirada no nome do seu ateliê e está com uma produção fantástica para a Páscoa. Em meio a milhões de compromissos, ela encontrou um tempinho para conversar com a gente.

-Nome: Luciana Kaempf Gastal

-Profissão: Advogada e Artesã

-Lugar onde mora: Brasília – DF (mas gaúcha de coração e raízes)

-Flickr: http://www.flickr.com/photos/lugastal

-Desde quando sua paixão por craft existe?

Há uns 10 anos. Em agosto de 1996, eu e minha irmã bordamos barrados de ponto de cruz nuns 100 panos de prato e os vendemos. Todos natalinos! Com a grana, comprei um ar condicionado! Foi uma baita alegria!!!! Depois, na primeira gravidez, tive de fazer repouso absoluto por seis meses… então bordei muito ponto de cruz, quadrinhos, enxoval,etc… e aí não parei mais! As festas de niver das minhas filhas sempre foram feitas por mim, tudo “handmade” e ficam bem fofas!

-Quantas horas por semana você dedica a projetos craft?

Tenho um dia de trabalho muito puxado. Aproveito intervalos de almoço para as compras do ateliê… Normalmente, durante a semana, não disponho de mais de 2 a 3 horas para o craft. Mas nos finais de semana trabalho direto, é minha diversão! Nas costuras, tenho sempre o apoio da Didi, minha fiel escudeira que cuida da família, da casa, de mim inclusive! Ela me ajuda, dá dicas e, com sua tranquilidade, sempre tem um jeito caprichado de fazer e me ensinar a costurar um belo acabamento.

-Você tem um craft room ou improvisa pela casa?

Tenho um craft room, mas em épocas de natal e páscoa a casa inteira recebe coelhos e família noel…

-Com quais materiais você prefere trabalhar?

Comecei com as linhas (ponto cruz), depois me apaixonei pela pintura country (folkart). Pintei uns 4 anos e comecei a trabalhar com tecidos. Aí foi paixão total. Nunca mais parei! Hoje misturo os trabalhos em tecido com outros materiais: sementes, crochê, botões… o que ficar bonito!

-Qual projeto craft deu mais orgulho de fazer?

Costumo me apaixonar pelo que faço. Se eu não for fã das minhas peças, não conseguirei vendê-las com prazer. Mas uma das peças especiais foi um quadro em pintura country, grandão, que coloquei na parede do quarto das meninas, quando minha filha menor nasceu… Era uma menina regando flores.

-Qual tipo de craft supply você mais compra?

Tudo o que eu puder aproveitar em algum momento. Adoro “coisinhas” de todos os gêneros! E gosto de tê-las no ateliê quando pensar em usar algo diferente!

-Qual foi sua mais recente aquisição de produtos handmade?

Um vestido de uma artesã aqui de Brasília. O nome dela é Maria e customiza roupas como ninguém.

-Quando sai de férias ou faz alguma viagem, você procura por armarinhos e lojas de suprimentos?

SEMPRE, ando atrás de lojinhas de artesanato. Gosto de admirar o que outros artesãos estão fazendo por aí… Mas não resisto a um armarinho também…

-Você faz alguma coleção? Quando começou?

Coleciono galinhas d’angola e coleciono os pratos da associação dos restaurantes da boa lembrança. Na minha casa somos admiradores da cozinha, e as cerâmicas são uma lembrança dos locais por onde andamos.

-Quando ganhou/comprou sua primeira máquina de costura?

No dia das mães, em 2000. Queria costurar bonecas de pano para o niver de 2 anos da minha filha Laurinha. A festa ficou linda e foi publicada numa revista de festas infantis.

-Indique um lugar que você considera um paraíso para crafters.

Em Brasília: armarinho MaGrife (tecidos lindos), Taguacenter (aviamentos). Em São Paulo a 25, é claro! No Rio Grande do Sul, principalmente em Porto Alegre e Gramado, também encontro tecidos e botões maravilhosos.

-Você prefere fazer crafts para a casa ou para usar em você mesma?

Gosto de enfeitar a casa. Uma toalha de mesa fofa, um lenço para amarrar num vasinho de flores. Mas curto demais encontrar alguém e ouvir “oi Lu, ganhei umas peças suas e estão lindas na minha casa!!!”.

-Um livro sobre craft que você não vive sem:

Não tenho livros. Me inspiro em revistas. Era fã nº 1 da Faça&Venda (Editora Abril), que acabou. Adoro a Patch&Afins e a Make (Rita Paiva). E os trabalhos by Tilda que são garimpados na internet.

-Um projeto que deu super certo é aquele que:

A gente faz com prazer, com amor, com entusiamo!