Entrevista: Ana Claudia Craudinha Passas ao Rum Monteiro

Como descrever a Ana? Impossível! Só pelo título da entrevista vocês já podem ver o quão multifacetada ela é. Pensando bem, acho que ela me lembra a Mulher Maravilha, com seu jato invisível para estar sempre em todos os lugares. Famosa entre as blytheiras, ela mistura um coração enorme com uma perspicácia fora do comum. Vocês vão concordar comigo depois de ler esta entrevista, onde ela não diz muito e diz quase tudo.

Nome: Oficial, Ana Claudia. Profissionalmente, Ana Monteiro. Em casa, Craudinha. E para blytheiras, Passas ao rum.

Lugar onde mora: Rio de Janeiro.

Profissão: colecionar Blythes e eventos.

Página no Flickr: http://www.flickr.com/photos/passasaorum

Site: http://www.blythe.com.br

O que passou pela sua cabeça quando viu uma Blythe pela primeira vez?

Não me recordo como foi em 1972… Mas desde que vi com entendimento uma Blythe, ela me soou interessante… mas não pelo shape e, sim, pela forma de apresentação (sempre muito fahsion) e pelo conceito que ela carrega.

Para você, qual o modelo mais bonito de Blythe? Por quê?

Em se tratando de Blythes, confesso que tenho uma personalidade fraquíssima… já gostei de umas…. de outras…. jamais desgostei…. mas hoje curto uma admiração pelas Blythes do formato EBL.

Você já fez algo handmade para as suas bonecas?

Vamos trocar a pergunta… “Você já tentou fazer….? ” rs

Quando vê uma foto na web com uma Blythe linda, o que você tem vontade de fazer?

Se é customizada, saber quem a fez … e, lógico ver todas as fotos daquela pessoa…

Você não acha que as Blythes sentem falta de um namorado?

Sinceramente? Acho uma sacanagem isso com as Blythes… Mas, pensando bem, se elas tivessem namorado, não ia dar certo… Os seres de sexo masculino são muito possessivos… eles não entenderiam essa relação com as humanas.

Você tem tempo de brincar de boneca?

Da minha maneira … sim!

Outro dia, estava na sala de espera do médico e tinha uma menina muito tímida, que mal sorria para as pessoas. Tentei puxar papo e nada da menina me dar idéia… Eis que “Craudinha” salta da bolsa e começa a trocar de olho… se ajeitar…. Percebi que a menina olhava… e olhava… (cenas de novela). Em 10 minuto,s a menina já era minha melhor amiga… Acho é essa a minha maneira de brincar…

Ou quando descobri no Flickr uma pessoa blytheira com problemas seríssimos de saúde e, em função dessa doença, a pessoa passava por um tratamento que a fez perder cabelo. Bom… peguei uma das minhas Blythes, a deixei careca e virou minha brincadeira com essa grande amiga… Combinei que a Blythe voltaria a ter cabelo no dia que ela voltasse a ter e, caso não tivesse, a Blythe permaneceria sem…

Em tempo: elas estão usando peruca enquanto o cabelo não cresce… mas curadas da doença.

A Blythe careca? Só revela sua identidade no dia que a humana careca se revelar….

Ou, por exemplo, semana passada entrei no msn com uma queridoca que estava meio baixo astral. Eu falei assim: estou preocupada… “Craudinha anda chegando muito tarde em casa… diz quer fazer uma tattoo, arranjou um namorado barbudo e motoqueiro… Dinha, só tá tirando nota baixa… e você vem me dizer que está cheia de problemas????” (Craudinha e todas aí citadas são Blythes LÓGICO). Caímos na gargalhada… E, pelo menos naquele momento, o baixo astral foi pra bem longe.

Seu filho brinca com as suas Blythes?

Não, o negócio dele é o que acaba sendo de todos os meninos… um bom esporte, videogame, etc…

Você prefere Blythes originais ou customizadas? Por quê?

Já te contei sobre minha personalidade fraca….?

Brincadeiras à parte, me sinto numa posição de colecionadora… acho incrível o trabalho de alguns customizadores e acho que algumas customizações devem ser vistas como obras de arte realmente… Por outro lado, para um colecionador, ter todas, as mais raras, as mais belas, as únicas está no objetivo…

Você já chorou por causa de uma boneca?

Nunca!

Por que a Craudinha é tão especial?

Por mais piegas que possa parecer, a Craudinha foi um presente da vida para mim… por entender que ela reunia traços da Ana Claudia (Passas ao rum), eu resolvi dar a ela o apelido que carinhosamente foi dado a mim pelo meu pai e, dali em diante, a Craudinha se tornou meu porta-voz nesse mundo das Blythes…

Em que lugar do mundo você adoraria fotografar a Craudinha?

Realizei esse ano… na China…

Mas a melhor resposta ou seria pergunta ….”Com quem você adoraria fotografar a Craudinha?”

Com quem você adoraria fotografar a Cruadinha?

Com certeza, o meu pai.

Quantas horas por dia você dedica às Blythes – contando o site, as promoções, compras, vendas…

Muitas horas…

Como surgiu a idéia de criar um site brasileiro dedicado às Blythes?

A idéia surgiu da ausência… Mas o site está longe do que deve ser… A idéia é ter um site com conteúdo e informação de Blythes, mixando com informações do dia-a-dia, tendo as Blythes como âncora.

Qual seção do site é mais gostosa de fazer? Por quê?

Eu e minha personalidade fraca… (ué, mas não era só pra Blythes?… oras o site é de Blythes!)

Fala mais sobre a “Foto Padrão”. Como ela começou?

Achava interessantíssimo as fotos dos sapatos que as meninas do Flickr tiravam… em especial das da Fabi e da Sinhana… Aí, um belo dia pensei, se eu tirar dos meus pés, corro o risco de estar “copiando” … enfim… Mas Craudinha pode tudo! Aí surgiu. Hoje, com essa mania de foto padrão, criamos a brincadeira para descobrir de quem são aqueles sapatos…

Se dependesse de você, todas as Blythes do mundo teriam…

As donas que verdadeiramente as merecem…


Todas as ilustrações desta entrevista foram feitas pela Débora Giustas.


Para saber mais:

Blythe.com.br, o site da Ana

Passas ao Rum, a página da Ana no Flickr

Débora Giustas no Flickr

9 comentários sobre “Entrevista: Ana Claudia Craudinha Passas ao Rum Monteiro

  1. Dani adorei a entrevista com A Ana Claudia Craudinha Passas ao Rum Monteiro!! Como to engatinhando nesse mundo de Blythe…(um dia terei a minha) esse trabalho dela com o site e o flickr tem colaborado muito pra me apaixonar cada vez mas por esse mundinho “dollmaniaco”. Ah e to adorando a interaçao que ela ta proporcionando com o Mbb! Adorei a entrevista e to aprendendo a cada dia a admirar mais a Ana

    Curtir

  2. Putz, nem de longe imaginava que a foto padrão pudesse ser algo inspirado em mim! Acho que na Fabi eu até teria pensado, mas é algo tão cara de Craudinha que nem me liguei…

    Ana, vc é uma figura…

    Curtir

  3. Olá!!

    Muito boa a entrevista.

    Ainda estou tentando ter uma Blythe, ta complicado, mas sei que vou conseguir, quem sabe ate o fim do ano eu ja tenho uma, papai noel podia me trazer ela!!rsrsrrsrrs.

    bjs 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s