Feliz Ano-Novo!!!

christmas card

Dia 31 de dezembro me lembra das tardes de domingo da minha infância. Dava uma tristeza melancólica pelo final de semana que estava acabando e, ao mesmo tempo, uma expectativa boa pela nova semana que ia começar. Para mim, impossível não lembrar com muito carinho de 2009, porque foi o ano em que eu engravidei e o meu filhote nasceu. Por isso mesmo, também não tem como não ter bons presságios para 2010, com um bebezinho crescendo.
Continuar lendo

Agenda 2010

mafalda - quino

Três coisas que eu gosto desde a infância: livro, agenda e Mafalda. E ganhei as três assim, de uma vez só, para começar o ano feliz, em espanhol. Direto da Argentina, vieram junto com uma caixa de alfajores Havana, já devidamente saboreados. Aliás, o livro também já foi devorado – e tem outro gosto ler as tiradas do quino no original.
Continuar lendo

10 coisas para fazer em 2010

Meio óbvio pensar em 10 coisas para fazer em 2010, mas… vou arriscar. Primeiro porque não resisto a números redondos (alguma semelhança com Adrian Monk deve ser encarada como mera coincidência). É impossível não fazer uma lista diante de um número redondinho. E aí está outro motivo: eu adoro listas. Então vamos lá!
Continuar lendo

10 coisas para deixar a casa mais bonita no Réveillon

champagne

Não sou supersticiosa e não acho que a cor da sua roupa no último dia do ano vai mudar os 365 dias que você vai ter pela frente. Mas que começar novos tempos em clima de festa, com a casa bonita e o coração alegre faz um bem para a alma, lá isso faz! Com isso na cabeça, acabei de pensar em 10 coisas para deixar a casa mais bonita no Réveillon.
Continuar lendo

Feliz Natal!

post card

As lojas hoje estavam lotadas. As pessoas que deixam para a última hora compraram, com vontade, antes da meia-noite chegar. Quem olha de fora, como eu, fica com a impressão de que o Natal, para a maioria das pessoas, é mais uma obrigação do que um dia especial, de encontro e felicidade. O stress de comprar, ter ou dar acaba superando os sentimentos mais importantes. A espontaneidade fica perdida em meio à ordem de oferecer presentes, de qualquer jeito.
Continuar lendo