Sobre acumular

Eu conheço pessoas que não conseguem perceber o quanto pode ser bom se desfazer de coisas. E entendo perfeitamente quem gosta de ir juntando, guardando, empilhando. Faz parte da nossa cultura valorizar o mais, a quantidade, o acúmulo de posses. Só que existem posses e poooosses – sabe aquelas tralhas que nunca são usadas, mas que ficam nos cantos dos armários, juntando pó e ocupando espaço. É dessas que eu estou falando. São essas que eu não gosto de acumular.

Esta semana mesmo, me desfiz de várias tranqueiras que não me serviam mais aqui em casa. Não foi pouca coisa: dois móveis grandes, herança de família, bonitos, customizados por mim. Loucura não querer mais? Não se eu contar que eles também eram errados para o meu espaço, desajeitados, nada práticos e só serviam para acumular tralha. Junto com eles, mandei embora muito do que estava dentro dos próprios, já que não era usado desde que me mudei para este apartamento.

Agora, olhando o espaço vazio, parece que tudo ficou mais leve. Além das possibilidades que o espaço vago abre, tem a questão mental de abrir mão de algo. No início, não é fácil. Tem vezes que, lembrando de determinado objeto, bate até um arrependimento passageiro. Mas no final, sobra sempre o espaço, a possibilidade de mudar. É como estar diante de uma tela em branco, depois de ter passado muito tempo olhando para telas do Iberê Camargo. O contraste é enorme. E a chance de criar também.

Aí eu lembrei de um monte de gente que tem as casas cheias de coisas, sem nem saber direito o motivo. Lembrei também de uma mania que eu tenho, de ficar inventando, na minha cabeça, novas decorações para as tais casas, sempre mais leves, com menos móveis e objetos. Não que eu seja uma pessoa com gosto moderno, clean. Não sou. Nem um pouco. Só que também não gosto de acúmulos desnecessários, que enfeiam em vez de embelezar. Por isso, ao invés de acumular a esmo, prefiro me desfazer. Armários com mais espaço são muito, muito mais fáceis de se manter organizados.

Ou você prefere casa cheia? Eu fiquei curiosa para saber… Me conta, enquanto eu fico aqui, pensando no que fazer na minha sala cheia de espaço 😉

Para saber mais:
Imagem: Apartment Therapy
Guia para organizar a casa
Dia de faxina
Arrumando a bagunça
Organizar só faz bem
10 maneiras de usar o que se compra

23 comentários sobre “Sobre acumular

  1. O conflito aqui em casa é que meu lema: “menos é mais”, não bate com o lema de de meu marido: “quem guarda o que não presta tem o que precisa”. Então vivemos neste impasse, eu querendo me desfazer e ele colecionando tudo. Ai, ai…

    Curtir

  2. Pois é… eu tenho que me cuidar, pois com a mania de reciclar, acabo guardando tralhas que penso que um dia poderei usar, será que terei tempo e disposição para utilizar tudo que guardo? Não sei, as vezes dou uma selecionada, mas dali a pouco está tudo cheio de novo…
    Tralhas paradas é energia estagnada!
    Beijos,
    Jud-artes

    Curtir

  3. Também tenho esse hábito de imaginar como ficaria a casa das pessoas.
    Pensei que só eu tinha essa mania *.*’
    Acho super legal essa ‘arte do desapego’, coisas que só acumulam espaço não é comigo.
    É sempre bom fazer uma limpeza geral e mandar embora um monte de coisa sem utilidade.

    Curtir

  4. No inicio do ano passei pra frente um terço dos meus objetos, roupas, sapatos e móveis da minha casa. Ficou bem melhor..

    Ouvi de uma especialista em organização que se quisermos mesmo guardar tudo quanto é coisa “bonitinha!”, precisaremos ter 2 casas: uma para morar e outra para acumular. Tô fora! Quero mais é leveza e espaço….

    Sou super fã do seu blog e visitante assídua desde o início de 2009. Quer dar uma passadinha no meu?

    Beijo,
    http://www.ateliebasile.com

    Curtir

  5. Eu gosto de adotar o velho ditado de que, menos sempre será mais… mais prazeroso, mais leve, mais bacana, mais espaçoso até para a criatividade… Claro que temos objetos que são indispensáveis na vida… alguns, por motivos de recordação, outros por questão sentimental, e até mesmo por questão de utilidade… No entanto, aquele lema de que se não foi usado durante um ou dois anos, você realmente não precisa daquilo… as nossas memórias são o melhor arquivo que temos na vida… e é somente ela, e nada mais, que levaremos desta vida…

    Curtir

  6. post sob medida para mim que tirei o feriado para praticar o desapego…kkkkkkk..to fazendo a limpa por aqui, mas tenho este problema tb de achar que “um dia”posso usar isso ou aquilo!
    bjs e boa viagem com o espaço clean

    Curtir

  7. .. fiz isso geral em casa a 01 mês doe muita roupas, brinquedos do meu filho hoje com 17 anos, vasos vazios esperando plantas que nunca plantei, peças esperando consertos que nunca fiz, fantasias de carnaval que prefiri ficar com as fotos e as recordações em minha mente.. Quase desisti de algumas peças, mais fiz pensando na frase muito usada
    “so entra no novo se sair o velho”. Ainda falta fazer a “faxina” na area mais dificil, dos meus sentimentos… mais isso acho que ira render um post em meu blog..kkk
    Adorei chegar aqui nesse feriado, Bjos

    Curtir

  8. Eu sou o contrário!!! Odeio fazer faxina e quando faço e vejo aquela coisa que eu já limpei 2, 3, 4 vezes e não uso nunca…eu tenho que me desfazer dela.

    Aí, saio perguntando quem quer e todo mundo faz uma cara de “ela de novo não”. Aí ofereço na Internet.

    Todo mundo diz que minha casa é muito clean, e até hoje nada do que eu me desfiz (muita herança) me fez falta.

    Eu acho muito bonitas essas decorações cheias de vasinhos, quadrinhos, enfeitinhos, paninhos…mas aí penso na poeira daquilo tudo depois de 1 semana…
    não dá para mim.

    😀

    Curtir

  9. Adoro me desfazer de coisas que não utilizamos e pensar numa forma mais prática e menos entulhada de viver… Aqui ensinamos aos meninos a doar suas roupas e brinquedos e eu, sempre que posso, reorganizo o que é necessário e doo o desnecessário. Parece que sai um peso dos nossos ombros e a visão de uma casa mais organizada e funcional me agrada bastante!
    Boa sorte no “preenchimento” racional deste teu novo espaço!
    beijos
    DaAna

    Curtir

  10. Sempre fui de guardar, pensando que um dia pudesse precisar. Mas ja faz algum tempo que eu estou praticando o desapego. E há dois meses esta fase se intensificou. Nossa! Ufa! Foi uma loucura! Contratei uma personal destas que ajudam a gente a organizar a casa e ela me deu ótimas dicas.
    Estou me desfazendo de muita coisa, pois há dois anos me mudei e somente agora abri algumas caixas e isso me fez ver que não fez falta determinadas coisas.
    Claro… que eu tenho muito ainda o que doar. Mas minha casa é mais clean, quase nada nas paredes e poucos objetos nos móveis, é que não quero tbm.ter que ficar chamando a atenção dos meus filhos o tempo inteiro, pedindo que eles não mexam para não quebrar, não estragar. E tbm. não gosto de ver as coisas com pó e como não tenho mais a minha excelente faxina que tive por oito anos, prefiro não ter para não me estressar. São fases na vida em que as coisas mudam. Talvez um dia volte a “entulhar” a casa.
    Dica:Muito me ajudou foi o programa “Cada Coisa em Seu Lugar” do Discovery home & Health – 55 da Net ou 36 da Sky todo dia às 11:00 hs. A apresentadora e a tradução são chatas, mas a essencia do programa é que me ajuda.

    Curtir

  11. Li este post ontem e fiquei pensando a respeito.

    Acho que pra quem é criativo, gosta de artesanato, reciclagem, este processo de “desentralhar” é mais difícil ainda. Porque um objeto ou um móvel pode ser transformado em outro e isso não tem fim!!

    Fiz um post outro dia quando tive um insight sobre como eu estava acumulando coisas e também idéias! Sim, idéias. Porque idéias demais sem ação também faz mal.
    http://lukaluluka.blogspot.com/2010/05/quem-voce-alimenta.html

    Tenho tendência a acumular coisas e este processo pra mim é sempre sofrido.

    Ótimo texto, parabéns pela coragem 🙂

    Um abraço.

    Curtir

  12. Acho importante ter espaço de circulação em todos os cômodos da casa. Se não nos desfizermos, com o tempo vai-se acumulando de tudo. Penso também que outras pessoas podem se beneficiar com algo que não necessitamos mais. Nunca fui apegada a móveis, mas as roupas, mesmo quando não servem mais, tento guardar, achando que um dia vai servir de novo. Mas com o tempo, acabo mandando embora. A regra é: se não usei por um ano, não vai me fazer falta.
    Já meu marido gosta de tudo organizado, às vezes desmonta aparelhos que não prestam mais, guarda parafuso por parafuso, pedaços de fios, plaquinhas, etc. A sorte é que temos uma garagem fechada, cheia de prateleiras e caixas organizadoras. Então, não dá aspecto de bagunça. E qdo surge alguma necessidade de conserto, ele sabe exatamente onde está aquela pecinha que encaixa direitinho. Minha mãe o chama de McGiver.
    Um abraço.

    Curtir

  13. O problema aqui em casa é que eu moro com pai e mãe que gostam das tranqueiras.
    Se eu penso em jogar algo fora, vem e minha mãe: “Ah, isso não…” ou meu pai: “Vai jogar pra quê?” e não adianta ir com os argumentos de sobra de espaço e que a casa vai ficar mais leve.
    Então eu vou no truque, me desfazendo de coisas sem nem eles perceberem (como eles nem percebem vejo que a tranqueira nem era realmente necessária nem pra casa nem pra alma deles, era dificuldade de de apegar e ver a coisa indo embora mesmo)
    Mas não vejo a hora de ter o meu canto e dentro dela coisas necessárias. Como eu disse, necessárias pra minha casa e pra alma, mas sem acumular… quero só ver, né? hehe

    Beijos. Adoro o blog! 🙂

    Curtir

  14. Olá querida!
    É muito bom fazer isto que você fez. Já fui apegada, não sei se é este o termo. Não gosto de simplismente colocar no lixo. Gosto de dar roupas para quem vai cuidar… tipo roupas da minha filha, para filhas de amigas… Por exemplo bandejas de isopor, estas que vem com frios e carne. Vou guardando e levo a uma escola de artesanato, ou douu a escolas para as crianças fazerem trabalhos artísticos.. mas é muito bom mudar. Como hoje moro em apartamento não tenho como guardar muita coisa. Na minha mudança, dei muuuuuuuuuuuuuuita coisa, nossa. E o melhor, vi que dá para a gente viver super bem com o necessário. Como meu pai diz quando a gente não sabe que roupa colocar. – Tem muitas roupas por isto a indefinição. E na verdade ele tem razão.
    bj e parabéns pelo blog. Se puder visite o meu reciclandoconceitoseatitudes.blogspot.com

    Curtir

  15. na minha casa sempre faço isso dá um alívio quando vc joga fora aquela coisa que vc sabe q não serve mais mas por algum motivo acaba deixando ali agora estou tentando fazer isso na casa da minha mãe caraca é muita tranqueira quase não sobra espaço para as pessoas rsrsrs .
    adorei o blog me tornei seguidora e gostaria de ter vc no meu bloguinho também.
    Desde já agardeço . bjks fique com Deus

    Curtir

  16. Também me desfiz de várias coisas entre setembro e outubro. A casa ganhou espaço, ainda preciso de arrumar outras coisas. Descobri coisas que nunca usei. Foram várias doações para o Exército da Salvação (www.exercitodoacoes.org.br) e acredito que outras pessoas estejam se deliciando com coisas que estavam sem uso e perdidas por aqui. O legal é que é só ligar, agendar e rapidinho eles passam pra buscar as doações. Só não consegui me livrar da cama do meu pai e da minha mãe, quero uma cama baú, mas a minha mãe tá me perturbando rsrsrs

    Curtir

  17. Minha sogra construi uma nova casa. Cozinha ampla, quarto com banheiro uma pequena suite. outro banheiro com um quartinho pra costura e garagem. Dizia q a casa dela era ruim pra limpar. Que a casa antiga seria minha e que não via a hora de se mudar. ficaria bom pra mim e pra ela já que com as crianças eu estava precisando urgente de mais espaço. Pensei: Vai por um monte de coisa fora, ja que não caberia na nova. Levou tudo que dava, insistiu pra que eu facasse com um pouco e eu P da vida querendo colocar um pouco do que tinha fora me vendo na obrigação de ficar com coisas dos outros pra não deixar ninguém ofendido. Um mês depois já estava reclamando. Construi outra garagem pra deixar a a outra pra fazer mais uma cozinha. tem louco pra tudo. Não tenho problema em me desfazer, mas se o marido pega algo que eu coloquei fora tras de volta pra dentro e quando eu menos espero a tranqueira ta lá que nem uma assombrassão.

    Curtir

  18. Eu confesso que sou adepta do “apego” e “desapego”…
    Coisas da casa, roupas… que não uso, passo pra frente rapidinho, detesto coisas entulhando, coisas que sei que nunca vou usar..
    Agora, artesanalmente falando… ai eu já sou mais apegada… guardo um monte de tranqueirinhas…

    Curtir

  19. AMO ORGANIZAR, AJEITAR E DESENTULHAR.
    QUE ENGRAÇADO, ACHEI QUE ESTA MANIA DE ORGANIZAR CASAS NA MINHA CABEÇA FOSSE SÓ MINHA (RSRSRSRSRS….).
    FICAR PENSANDO EM ORGANIZAR ISSO OU AQUILO ME RELAXA, AS VEZES ATÉ PEGO NO SONO PENSANDO ASSIM. BOM SERIA SE TODOS FOSSE ASSIM, O MUNDO SERIA MAIS LEVE.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s