Para descartar sem piedade

spaghetti

Em 2010, quando me mudei para Porto Alegre, contei aqui no blog que tinha doado uns móveis que, apesar de bacanas, tinham perdido o sentido de serem mantidos. O assunto rendeu e muitas pessoas deixaram comentários e escreveram para falar sobre a tendência – nem sempre saudável – que a gente muita vezes tem de acumular muito mais coisas do que precisa. Com mais uma mudança à vista (desta vez só de apartamento, não de cidade), eu venho numa cruzada incansável contra o acúmulo desnecessário.

 


Tenho atacado sem dó cada cantinho, desde os tecidos no craft room até os panos de limpeza na lavanderia. Tudo em busca de mais organização, mais espaço, mais facilidade. Li em algum lugar que essa mania de guardar tudo “porque um dia pode ser que precise” é herança do tempo em que o homem ainda habitava cavernas e precisava estocar alimentos para os tempos de carestia. Ok. O instinto até pode estar aqui, mas quem disse que a gente precisa sucumbir a ele? Eu me recuso. Aliás, uma das coisas que eu mais gosto de fazer é organizar a casa. E não tem como organizar sem descartar, selecionar, escolher.

spaghetti

Porque a verdade é que a gente já precisa ter uma tralha enorme em casa, que são aquelas coisas “indispensáveis”, como cama, fogão, geladeira… Depois têm as coisas muito úteis, como máquina de lavar, máquina de costura, computador, impressora… Aí vêm as coisas nem tão úteis, mas ainda assim queridas. E, por fim, aquelas coisas que a gente simplesmente guarda. “Porque pode precisar um dia”, “porque ganhou de presente”, “porque dá pena jogar fora”, “porque não quero me desfazer”… Nem preciso dizer que é aí mesmo que começa a bagunça e o descontrole.

Já virou difundida a regra de que, se um objeto não for usado nem uma vez no período de dois anos, ele deve ser descartado. Pessoalmente, eu mantenho por menos tempo. Como me eduquei para não acumular o que não preciso, já sei exatamente quais são as coisas que não ver ser usadas, não importa quantos anos fiquem aqui. Então, de seis em seis meses, em média, eu vou dando uma geral em armários e estantes e analiso item por item. Às vezes, me surpreendo mandando embora algo que eu pensava que ia guardar para sempre. E me divirto com isso.

spaghetti

Um bom exemplo são os livros. Durante muitos anos, eu só comprava e jamais passava pela minha cabeça doar algum, “porque eu podia querer ler de novo”. Só que eu sou uma leitora voraz, que compra muitos livros e que ia acabar sendo obrigada a ter um cômodo só para acomodá-los. A saída natural foi o descarte. Já doei muitos, já fiz até um sebo virtual (que foi um sucesso!). E, antes de me mudar de novo, vou doar mais alguns. Assim, libero espaço e ainda posso ajudar a aumentar o número de leitores no país – sinto muita vergonha cada vez que escuto que os brasileiros leem menos de um livro por ano, na média.

Ultimamente, eu tenho sido uma pessoa bem pouco consumista. Mesmo assim, tenho sempre que arrumar espaço para guardar coisas novas. Então também me obrigo a sempre tentar deixar espaços vazios nos armários, para poder organizar o que vai chegando. Confesso que com as roupas, os sapatos, os utensílios domésticos e até com os objetos de decoração têm sido fácil. Já no craft room a coisa é muito mais complicada.

spaghetti

Porque a gente realmente nunca sabe direito do que pode precisar – ainda mais no meu caso, que invento moda em quase todas as áreas das manualidades. Só que não posso usar isso como desculpa para juntar tralhas inúteis. Então tenho me forçado a usar os aviamentos, tecidos, papéis, lãs e tudo que tenho, ao invés de sair comprando mais. Até agora, está funcionando.

Se você lê sempre o BananaCraft, já deve ter me “ouvido” falar que usei algo que já tinha em casa para fazer tal coisa. Várias vezes. Porque, como em tudo na vida, a gente também acostuma a usar o que tem, ao invés de sentir necessidade de comprar mais. A organização, a carteira e os próprios crafts agradecem.

spaghetti

Ah, as fotos que ilustram este post parecem não fazer muito sentido? Explico: a lata de sopa foi reaproveitada, porque ela tem um visual bacana e não merecia ir para o lixo. O vidro, que originalmente não era para spaghetti, ganhou este uso depois que descartei um pote grandão onde guardava esse tipo de massa. Para que comprar um novo se posso usar o que já tenho? 😉

 

Mas e você? Gosta de fazer “limpas” em casa e doar o que está sem uso? Ou ainda não conseguiu superar a fase do apego? Está comprando demais? Conta, vai =)

 

Para saber mais:

A arte do desapego

37 comentários sobre “Para descartar sem piedade

  1. Oi Dani, kkkkkkkkkk desculpe rir assim descaradamente..Mas é que penso exatamente como vc, no final do ano passado fiz uma limpa na minha casa, e fui de canto a canto vendo que poderia retirar, o que poderia doar e o que iria para o lixo, confesso que fico ponderando com as coisas, mas estou me acertando na arte do desapego. E lá se foram bijus, roupas, sapatos, remédios vencidos, maquiagens velhas…mas também tem algumas coisas pra serem vistas…me falta um pouco de tempo. Também tenho muitos livros, esses fico com dó de doar, existem alguns de uma autora famosa que eu simplesmente amo: Nora Roberts que não entra na lista de doação.Também amo ler e fico triste me saber que os brsileiros não curtem muito uma leitura…por ano leio em média uns 30 livros…E é isso! Tudo de bom pra vc um grande abraço e Viva o desapego!

    Curtir

  2. Oieee… Passo sempre por aqui e amo o que vejo!!! Começo fazendo uma pergunta que vidro é esse??? Ameiii!!! Quero um igualzinhooo!!! Hehe…
    Bom, estou fazendo uma limpa, me desapegando mesmo, abrindo cada papelzinho para ver se realmente preciso, sou do interios do RS, Camaquã a 120km de POA e agora dia 01/ Fevereiro estou de mudança para POA, porque namorido trabalha na PUCRS e esse ir e vir, ninguém aguenta… Mas não é fácil desapegar… Mas como quero realmente vida nova, cidade nova, casa nova, sonhos novos, quero levar tudo organizado… A única “coisa” que não quero nova é o namorido que esse não troco por ninguém… Hehe…

    Bjãooo… Amo tudo sempre!!!

    Ina Conrado

    Curtir

    • Você encontra esses vidros no Bourbon, Ina!
      Olha que coincidência: tenho uma vizinha que é de Camaquã também.
      Boa sorte na nova vida aqui em POA.
      E mais uma coincidência: também estou com a mudança programada, mas só de apartamento, não de cidade 😉
      Beijos

      Curtir

      • Vou procurar no Bourbom, sem duvida!!! Adoreiiii e Obrigadooo!!!

        Muitas coincidências mesmo, se não faz muito mtepo que sua vizinha saiu de Camaquã, devemos nos conehcer, porque a cidade é muitooo pequena…
        Uma boa mudança para vc!!! Quando vc se muda??? Vai para qual bairro??? Nós conseguimos locar um ap bem em frnete a PUCRS para facilitar a vida do namorido, eu vou ficar bemmm perdida nunca sai do interior, aprendendo realmente a me locamover em POA, rsrs…

        Se precisar de dicas de salão e tals, vou pedir, posso??? Heheh…

        De onde vc era??? Gostou de POA??? Meu Deus te bombardiei de perguntas, mas porque realmente estou bem perdida, heheh…

        Bjãooo!!!

        Curtir

  3. Oi, Dani
    Como estão? Quanto tempo?
    A média brasileira é de 1,8 livro lido por habit/ano (segundo a coluna Claudio de Moura Castro, Rev. Veja 11 de jan./12). Reconheço que não sou uma leitora furiosa. Ultimamente, tenho lido mais na internet, livros da minha área, jornais e revistas. Falando nisso tenho que doar uma caixa plástica daquelas de feira cheinha de revistas como: Mundo Estranho, Super Interessante, Nova Escola, Pátio e outras que fico com a sensação de que serão úteis no futuro. Só que elas estão no mesmo lugar há um ano e não foram tocadas.
    Quando mudamos fiz uma “limpa” nos armários, estantes, caixas. Está na hora de eu me aventurar novamente. Doamos o que não tem mais utilidade aqui em casa. Também trocamos ou negociamos objetos. Outro dia, vendi uma esteira e uma geladeira novinha por precinho de banana. Senti-me tão aliviada.
    Apoio as campanhas de doação de livros, gibis e brinquedos…
    Não sou consumista. Nos últimos tempos, tenho investido na filhota.
    Sustentabil-idade para todos nós!

    Curtir

  4. Esta época do ano é o momento que faço os descartes por aqui!
    No escritório, em casa, armários e até móveis este ano! Estou com ideia de quanto menos, melhor!
    Mas não consigo praticar o desapego em duas coisas: aquelas roupinhas de quando o pequeno era baby que a gente guarda de recordação e ainda brinquedos!!! Como se reproduzem!
    Bjs

    Curtir

    • Brinquedos ainda são complicados de irem para doação por aqui, Heidi. Porque ainda são muito usados. Só consegui mandar embora mesmo os de bebezinho, tipo mordedores e afins. O resto, vai ser um problema na mudança… Já as roupinhas eu doei praticamente todas. Só fiquei mesmo com duas ou três muito especiais. O resto, a gente lembra vendo as fotos =)
      Concordo com você: menos é mais!!!
      Bjs

      Curtir

  5. Coincidência ou não, acabei de fazer uma limpa no meu escritório, todos os papéis e pastas que acho que não vou usar mais estão separados para ir para reciclagem. Estava organizando as coisas e pensando “tenho que conseguir doar mais, me desapegar mais das coisas…” Parei com a minha limpeza e leio este post que tem tudo a ver com o meu dia, isso me motivou e muito. Também vou me mudar em breve e quero levar para casa nova só o que for realmente necessário.
    Obrigada por todas as ideias e reflexões que você disponibiliza, adoro visitar o seu espaço e me inspirar…
    Abraços!!!

    Curtir

  6. Oi Dani,
    Concordo,concordo,concordo!Principalmente depois da minha última mudança(há três anos )onde 32 caixas gigantes acompanharam os indispensáveis móveis&eletrodomésticos;tive que fazer o descarte depois da mudança,ou seja,caro e contraproducente.Mas,ô dificuldade de manter tudo “enxuto”.Roupas e sapatos,todo final de ano e às vezes até durante o ano,não tem perdão e livros,vários expurgos em cada mudança(foram 6),ainda dão trabalho.E olha que sou organizada,se não fosse,sei não.Percebi que o que a gente gosta,acaba se tornando o “muito”,o resto só o essencial.No meu caso,cozinha básica com um paneleiro e um armarinho daqueles pra micro,sem o dito cujo,com o fundamental em utensílios e outras coisas.Mas sabe porque a lembrança,preciso encontrar outro canto.Aqui,já deu!Ai meus deuses,mais uma mudança,só que dessa vez,cadê energia?!?!Bjs

    Curtir

    • Também estou meio devagar com essa minha nova mudança, Eliana. Acho que estou esperando para ver se um anjo cai do céu e separa tudo para mim… 😉 Mas daqui a pouco não vai dar para adiar mais e vou ter que colocar a mão na massa de novo =)
      Bjs e boa sorte com a sua nova mudança!

      Curtir

  7. Amei.
    Aqui o saleiro, e o potinho pequeno de Pringles queijo, os temperos ficam nos vidros de geleia, e não é mesquinharia, mas também não vejo nenhum sentido em comprar algo se posso reaproveitar, ainda que seja por pouco tempo, algo que tá bom, tem charme e é de graça.
    Feliz de 2012 de boas ideias!

    Curtir

    • Adorei isso, Deborah: “não vejo nenhum sentido em comprar algo se posso reaproveitar, ainda que seja por pouco tempo, algo que tá bom, tem charme e é de graça”. Concordo plenamente!!!
      Feliz 2012 para você também!!!

      Curtir

  8. Me identifiquei muito com vc agora!
    Eu AMO dar uma limpeza boa nas coisas, jogar fora, doar… depois me sinto tão leve!
    E tenho que lutar com um marido super apegado, que junta tralha e tem pena de se desfazer. Mas eu não desisto de tentar mudá-lo!

    Curtir

  9. Olá Dani…

    Falando em mudanca ,esse ano tb estarei mudando de ap para uma casa,até aí tudo ok.Mais desde outubro do ano passado que meu marido vem tocando a mesma tecla:Vc já comecou o seu desapêgo ? rrsrssrsrs….E te confesso que nao. Nossa como é difícil fazer uma limpa em nossa casa,em nossas coisas.Depois que vim morar aqui (Alemanha) ganhei muitos itens de minha sogra todos vintage,do tempo mesmo das vovós e ainda alguns com histórias de familia,mais para meu marido sao apenas coisas sem uso,juro que nao sei como vai ser no dia da mudanca com tantas caixas,rsrsrsrsrs.Mais vou ser sincera:O desapêgo serao para poucas coisitas.

    Malú.

    Curtir

  10. essa semana também fiz a limpa por aqui, céus quanta coisa acumulada! e eu que me considero uma pessoa desapegada. com roupas eu criei o hábito de quando entra uma peça nova sai outra velha ou não tão querida.

    é interessante o quanto esse movimento todo de se disfazer das coisas faz um bem enorme pra casa, pra nossa vida e pra nossa mente também.

    beijos e bom ano!

    Curtir

  11. Ai, Dani, você pegou no meu calcanhar de Aquiles!
    Gosto muito de ordem, mas de um ano para cá ando meio acumuladora… meu ateliê, antes tão bem organizado, bonitinho, até parecia uma lojinha, agora está uma pilha de coisas! Fui comprando tecido, comprando tecido, comprando aviamentos, e quando preciso de algo é tão complicado encontrar que acabo comprando! Pirante, não é?
    Mas pretendo melhorar! Este ano estou com planos de me organizar melhor, me propus fazer um craft por dia, assim posso utilizar meus materiais. Estou querendo organizar alguns espaços e, conforme os projetos forem saindo do papel, pretendo postá-los no meu blog.
    Fico babando quando leio sobre o desapego, pois acho que é energia circulando. Tudo o que fica parado, sem uso, sendo que poderia ser aproveitado por alguém, não gera boas energias a quem detém!
    Mas eu chego lá, Dani! Ah, se chego!
    Beijão a você, sempre com postagens interessantes e, o que eu acho mais bonito, dando atenção a todos os que passam pelo blog! É tão bom a gente se sentir acolhida! Muito obrigada! Um restinho de semana muito feliz pra ti!
    Renata (baudadada.blogspot.com)

    Curtir

  12. Oi Dani,
    Nossa, parece que vc leu meus pensamentos! Estou aqui desde terça-feira numa sessão de desapego, rsrsrsr….
    Ainda falta muita coisa, mas aos poucos o quarto já ganha nova forma e os ares da casa começam a ficar mais leves.
    Tranqueira acumulada, energia parada!
    Beijos e ótima arrumação e mudança!
    Patty

    Curtir

  13. Oi, Dani.

    Eu aderi ao Freecycle para doar coisas que não uso mais ou pedir algo de que esteja precisando. É uma ideia bem legal e existe em diversas cidades no Brasil e no exterior. Dê uma olhada na página do grupo no Yahoo: http://www.freecycle.org/group/BR/Brazil

    O que eu acho mais difícil é me desfazer de livros e de retalhos. Guardo até pedacinhos minúsculos, que uso para fazer as etiquetas das minhas embalagens. Outro dia, peguei meus livros e revistas de patchwork e selecionei um projeto de cada um para eu costurar. Mas não estipulei prazo. A única regra é: para comprar um novo exemplar, um desses projetos deverá estar concluído.

    Um abraço e feliz 2012 pra você,

    Andréa.

    Curtir

  14. Oi Dani,

    Começamos o ano bem hein! Vc nos puxando as orelhas já na primeira quinzena do ano hj 12/01/2012 vamos ver se em 12/12/2012 estejamos mais e mais desapegadas!!!!! E sendo cada vez mais generosas na hora do descarte das coisas desnecessárias! Como vc escreve ” sem dó nem piedade”!
    Um ótimo final de semana! bjs

    Curtir

  15. Eu adoro descartar! E definitivamente, nao tenho dó nem piedade! Kkkkk Se nao usei em 6 meses, nao uso mais! E se precisar “um dia” compro outro! O problema, realmente são as coisas craft…. Essas sim tenho dificuldade…. Em 2012 resolvi organizar meu quarto de costura, o que já esta sendo um baita desafio!
    E o Banana craft já me ajudou com diversas idéias! E hoje, mais uma vez, me lembrando de fazer uma faxina nesse cantinho também!
    Beijos!

    Curtir

  16. Olá Dani, adoro esse assunto =D
    Eu também sou daquelas que gosta de uma “faxina” e como também me mudei recentemente estou ainda na organização do novo lar.
    Procuro reciclar, seguir algumas dicas do Feng Shui e também do método 5S , que alias, foram aplicados com sucesso a uma turma de crianças de 7 anos em relação a mochila que levam para a escola.
    Que 2012 seja um ano assim de reciclagem e boas energias.
    Beijinhos e saudades.
    (obs. desculpa a ausência, mas tem sido por um bom motivo)

    Curtir

  17. Ai-ai, realmente é um dilema… eu não gosto de juntar coisas, mas como trabalho com Artesanato, constantemente isso acontece, pois rola mesmo o “posso usar isso, para fazer isso”, ou “ai que pena de jogar fora”… mas ultimamente tenho me forçado a praticar o desapego, e tenho conseguido separar o que não uso para doar. Minha próxima limpa serão com os livros… já os li, agora vou doá-los.
    Mas é uma luta mesmo… sempre rola uma peninha.
    bjins e bom final de semana!

    Curtir

  18. Concordo com tudo! Venho de uma família onde minha mãe guardava e ainda guarda muita coisa inútil e que nem dá parqa usar mais. Estou me propondo a ir lá e ver se ajudo e convenço ela a se livrar de tanta tralha! Acho que sairiam alguns containeres de lá! E olha que moram só meus pais. Estou fazendo arrumação nas minhas coisas e já tirei várias caixas para dar para a reciclagem ou colocar no lixo. Não faço arrumção tão seguido quanto você, mas quando começo é muito divertido e me sinto ótima. Estou passando isto para as minhas filhas também. Bjos

    Curtir

  19. Eu adoro a ” sessão desapêgo”..ainda mais que organizo um bazar/brechó beneficente, onde os valores recebidos pelas vendas são transformados em brinquedos e livros para crianças carentes.

    bjs

    Curtir

  20. DANI, QUERIDA,
    ESTOU NO MEIO DO CAMINHO… TAMBÉM ADORO DAR UMA LIMPA NA CASA, MAS AINDA ME APEGO A CERTAS TRALHAS… TENHO UN ARMARIO DE “MATÉRIA PRIMA” PARA MEUS ARTESANATOS… ADIVINHA??? UM TANTO ASSIM DE COISAS PARA DESCARTAR… MAS NESSE ARMÁRIO AINDA NÃO TENHO MUITA CORAGEM DE MEXER!!!! O QUE ME INCOMODA É QUE SÓ TENHO TEMPO PARA A LIMPA NAS MINHAS FÉRIAS, QUE SÃO UMA VEZ POR ANO, E DAÍ TENHO UM ANO INTEIRO PARA ACUMULAR… MAS ESTOU A CAMINHO… VOCÊ ME DEU VONTADE, COM SEU POST, DE LIMPAAAARRRRRRRR!!!!
    BEIJOS, QUERIDA, SOU SUA FÃ!!!!

    Curtir

  21. kkkk…. acho sou QUASE uma ACUMULADORA … dá até medo rsss, mas tenho me policiado e desapegado de muitas coisas , mas é uma briga feia …você conhece os site de troca de livros : http://www.trocandolivros.com.br e http://www.livralivros.com.br ? eu os utilizo pra trocar meus livros (tb são muitos …rsss) e super recomendo , o cadastro é gratuito e você vai ganhando pontos toda vez que outro usuario solicita seus livros, vale a pena passar por lá.

    bjim

    Curtir

  22. sempre fui de acumular coisas, qdo casei foi um inferno transportar tudo comigo rsrs… mas ae com o tempo e mudanças tive que mudar, a primeira mudança foi muito grande, era pra outro país, então tive que desapegar mesmo!! ai foi um tal de voltar pro Brasil, muda daqui, muda dali… enfim…
    estou como você, tenho outra mudança pra encarar até o final do ano, e já estou desde já fazendo a limpa!!
    e a gente se sente tão bem assim!!

    Curtir

  23. Li, gostei, postei no face e retuitei. Demais, viu? Empatamos em tudo. Inclusive na parte das tentações em que a gente cai de vez quando, comprando o que não precisa. Ruim só é mesmo quando vc de repente vai fazer uma coisa genial e aí descobre que aquele vidro, aquele pote ou aquela figura, já foram descartadas na hora da limpa. Ossos do ofício,né… criatividade existe é pra reinventar. Bj

    Curtir

  24. Eu sempre faço isso aqui em casa, só que ainda moro com minha mãe. Aí já viu,né? Ela vem atrás reclamamdo que ainda vai usar isso , que vai usar aquilo. Mas a coisa está lá a um tempão e ninguém usou…
    Acho importante fazer essa limpeza periodicamente pois segundo o feng shui, se vc deixa coisas paradas , sem uso, a energia da casa e das pessoas também ficam estagnada. Credo!

    Curtir

  25. Estou mudando, muitas coisas, materiais de artesanato que prometo que vou utiliza-los, 3crianças pequenas , uma loucura!!!
    Estou exercitando a arte do desapego.rsrsrs
    Seu texto caiu do céu!!
    bjos
    Ana Hayashi

    Curtir

  26. Oi
    Também sou adepta ao “não uso, descarto”, mas confesso que algumas coisas eu tenho dó de me descartar.
    Então se tem aquela roupa que não uso há meses, eu analiso o motivo. Se puder, eu customizo e ponho em uso novamente, se não, eu junto com outras peças e faço uma doação.
    Também sou apaixonada por livros e em geral, empresto bastante (apesar de ter gente que esquece de me devolver…) e dou alguns – se quiserem me doar alguns, vou adorar (rsrsrsrs!!!).
    Acho que este tipo de descarte (limpeza geral) também é bom fazer internamente – jogar aqueles sentimentos fora também fazem bem para a alma!!!
    Bjks

    Convido conhecerem meu blog. Vou adorar a visita!

    Curtir

  27. Olá, ultimamente tenho sido sua leitora assídua! Também tento não me apegar nas coisas, detesto tralhas atrolhadas hahaha. Mas infelizmente no meu caso meu marido tem esse pensamento guardar pq pode precisar um dia! Bjos

    Curtir

  28. Parabéns pelo blog. Agora que você está organizando as coisas da mudança, vale a pena acompanhar diliwi.blogspot.com onde comento sobre o que vou fazer com o excesso de coisas que a gente guarda em casa e só se dá conta quando muda!

    Curtir

  29. Vou confessar que eu sou péssima em jogar coisas fora, é terrível pra mim!!!
    Me mudei pra minha casa nova em junho do ano passado e só em dezembro consegui me desfazer de muita coisa e com muito custo!!! rsrsrs
    Sabe quando vc cria coragem e joga (quase) tudo fora??? rsrsrs Mas me senti uma heroína me desfazendo de tanta coisa!!!! o/

    Pior foi essa semana, que tive a sensação de que não reaproveitei/joguei tanta coisa fora… Tô com vontade de fazer outra limpa, mas cadê a coragem!!! kkkkk

    Beijos!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s