Nutella aqui, aí e lá

nutella

A primeira vez que eu comi Nutella foi aí no Brasil, há uns bons anos. Minha cunhada veio para a Europa e, na volta, levou na mala alguns potes – e eu fui a feliz ganhadora de um deles. Logo depois disso, passaram a vender no Brasil. No ano passado, quando mudamos para a Inglaterra, Nutella foi uma das poucas coisas que a gente continuou consumindo exatamente como fazíamos no Brasil. Na primeira manhã em Londres, Nutella foi um ponto de referência para o meu filho no café da manhã do hotel. Mês passado, quando fomos para a Itália, lá estava ela de novo, disponível no café de mais um hotel. No supermercado italiano, Nutella de todo tamanho. Na rua, por todo lado – como nessa Cremaria aí da foto. E ontem meu marido me mandou a história da Nutella por e-mail e eu não resisti em fazer um post. Afinal, quem resiste à Nutella?

Nutella nasceu como uma alternativa ao chocolate, que era caro e não estava acessível a todo mundo na Itália de 50 anos atrás. Pietro Ferrero foi o inventor e hoje o neto dele toca a empresa, que ganhou o mundo com o seu delicioso creme de avelãs e chocolate. No ano passado, cerca de 365 milhões de quilos de Nutella foram consumidos em 160 países pelo mundo afora.

Aqui em casa, já virou um clássico do café da manhã: pão integral e Nutella. Aliás, exatamente como para Giovanni Ferrero (o neto do criador), que só podia comer Nutella no café. Pessoalmente, eu adoro Nutella com moranguinho (uma colherada gigante derretida em 1 min de micro-ondas e depois misturada com morangos picados) ou com banana em rodelas. No Brasil, eu frequentava um restaurante em Canela, na serra gaúcha, que servia uma deliciosa combinação de Nutella, banana e pão de queijo (fácil de reproduzir em casa, o modo de fazer está num link ali embaixo, no Para saber mais).

Para terminar esse post de dar água na boca, lembrei de uma história engraçada: uma prima minha, há uns anos atrás, passou um mês na França e foi apresentada às delícias da Nutella. Na hora de ir embora, não teve dúvidas e comprou um pote grandão, mesmo sabendo que ia pesar muito na mala. Dias depois, na casa da minha mãe, me viu preparando uma bisnaguinha com Nutella para a minha afilhada e se espantou: “Onde comprou Nutella aqui?” “No supermercado… Por quê?” “Porque eu provei na França, achei tão bom que trouxe um pote grandão comigo… Não sabia que tinha para vender aqui no Brasil…” Depois disso, ela correu no supermercado da esquina da casa dela, encontrou Nutella e passou a comer uma colherada todo dia de sobremesa. Pura. E você, como prefere comer Nutella? Com pão, com frutas, pura ou com outro ingrediente gostoso? Conta aí, vai!

P.S. Este post não foi patrocinado 😉

 

Para saber mais:

A história completa da Nutella contada pela BBC News

Receita de pão de queijo com banana e Nutella

Receita de cupcake de chocolate com cobertura de Nutella

Nutella de feltro

A promoção aí no Brasil de 50 anos da Nutella 

9 comentários sobre “Nutella aqui, aí e lá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s